CATEQUESE !!!

Fazei tudo o que Ele vos mandar (Jo 2,5)

Evangelho dominical - Mesters, Lopes e Orofino: “Assim como o meu Pai me ama, eu amo vocês”

Mesters, Lopes e Orofino

Confira  reflexão do evangelho para o próximo domingo, dia 6 de maio. O texto fala sobre João 15,9-17, e pertence a Carlos Mesters, Mercedes Lopes e Francisco Orofino.

Boa leitura!

Os capítulos 15 até 17 de João trazem vários ensinamentos muito bonitos, fruto da catequese nas comunidades do Discípulo Amado. O evangelista os juntou e colocou aqui no ambiente amigo do último encontro de confraternização de Jesus com os discípulos. Acompanhe.

João 15,9-11: Permanecer no amor, fonte da perfeita alegria

Jesus permanece no amor do Pai observando os mandamentos que dele recebeu. Nós permanecemos no amor de Jesus observando os mandamentos do Pai que ele nos deixou. E devemos observá-los com a mesma medida com que ele os observou: “Se vocês obedecem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como eu obedeci aos mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor”. É nesta união de amor do Pai e de Jesus que está a fonte da verdadeira alegria: “Eu disse isso a vocês para que minha alegria esteja em vocês, e a alegria de vocês seja completa”.

João 15,12-13: Amar como ele nos amou

O mandamento de Jesus é um só: “amar-nos uns aos outros como ele nos amou!” (Jo 15,12; 13,34). Jesus ultrapassa o Antigo Testamento. O critério antigo era: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Lv 18,19). O novo critério é: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Aqui ele disse aquela frase que cantamos até hoje: “Prova de amor maior não há que doar a vida pelo irmão!”

João 15,14-15 Amigos e não empregados

“Vocês serão meus amigos se praticarem o que eu mando”, a saber, praticar o amor até a doação total de si! Em seguida, Jesus coloca um ideal altíssimo para a vida de quem o segue no caminho. Ele diz: “Não chamo vocês de empregados, mas de amigos. Pois o empregado não sabe o que faz o seu patrão. Chamo vocês de amigos, porque contei para vocês tudo que ouvi do meu Pai!” Jesus não tinha mais segredos para os suas discípulas e seus discípulos. Tudo que ouviu do Pai contou para nós! Este é o ideal bonito da vida em comunidade: chegarmos à total transparência, ao ponto de não haver mais segredos entre nós e de podermos confiar totalmente nas pessoas, de podermos partilhar a experiência que temos de Deus e da vida e, assim, enriquecer-nos mutuamente. Os primeiros cristãos conseguiram realizar este ideal durante alguns anos. Eles “eram um só coração e uma só alma” (At 4,32; 1,14; 2,42.46).

João 15,16-17: Foi Jesus que nos escolheu

Não fomos nós que escolhemos Jesus. Foi ele quem nos encontrou, nos chamou e nos deu a missão de ir e dar fruto, fruto que permaneça. Nós precisamos dele, mas ele também quer precisar de nós e do nosso trabalho para poder continuar fazendo hoje o que fez para o povo na Galileia. A última recomendação: “Isto vos mando: amai-vos uns aos outros!”

Alargando a reflexão

Jesus é a sabedoria de Deus

Para as primeiras comunidades, Jesus é a manifestação da multiforme Sabedoria de Deus (Ef 3,10). Ele é a Sabedoria de Deus (1Cor 1,24). Mas esta ligação entre Jesus e a Sabedoria de Deus aparece com maior evidência no Evangelho de João. Desde o prólogo, podemos perceber como as comunidades do Discípulo Amado gostavam de contemplar Jesus como a Sabedoria que existia em Deus antes da criação do mundo (Jo 1,2-5; Sb 6,22). Tal como a Sabedoria, também Jesus conhece os mistérios de Deus e os revela à humanidade (Jo 3,11-12; Sb 9,9-18).

Há várias outras características da Sabedoria de Deus, acentuadas no Antigo Testamento, que são usadas no Evangelho segundo João para dizer quem é Jesus para nós.

  1. A Sabedoria convida o povo para um banquete (Pr 9,1-6). Ela diz: “Quem me come terá ainda mais fome e quem me bebe terá ainda mais sede” (Eclo 24,21). No Evangelho de João, Jesus diz: “Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede” (Jo 6,35).
  2. A Sabedoria é “um reflexo da luz eterna” (Sb 7,26). Jesus diz: “Eu sou a luz do mundo” (Jo 1,5; 8,12; 9,5).
  3. A Sabedoria diz: “Quem me encontra, encontra a vida” (Pr 8,35). Jesus diz: “Eu sou a ressurreição e a vida!” (Jo 1,4; 11,25; 14,6).
  4. A Sabedoria é fonte de água (Eclo 24,30-31). Jesus diz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba!” (Jo 7,37).
  5. A Divina Sabedoria é uma videira graciosa com muitos ramos, carregada de flores e frutos. Ela convida as pessoas para que venham fartar-se dos seus frutos e experimentar a doçura de seu mel (Eclo 24,17-22). Jesus diz: “Eu sou a videira, vocês são os ramos” (Jo 15,5). Quem fica unido a ele produz muitos frutos (Jo 15,8).

Texto partilhado pelos autores e autora.

Fonte: CEBI

Exibições: 23

Comentar

Você precisa ser um membro de CATEQUESE !!! para adicionar comentários!

Entrar em CATEQUESE !!!

CAPELA VIRTUAL

Vem meditar comigo

 

EU ESTOU AQUI

 

 

 

Membros

Fórum

Quem fundou a Igreja Católica???

Iniciado por Jorge Kontovski 11 Jan.

Batismo em crianças

Iniciado por laila patricia 28 Set, 2015.

Confissão para a Primeira Eucaristia de Crianças (entre 11 e 13 anos) ?? 7 respostas 

Iniciado por Jorge -Catequista de Adolescente. Última resposta de Delourdes P. Prado 2 Jun, 2014.

1°Encontro

Iniciado por ana maria barbosa de araujo 21 Mar, 2014.

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Badge

Carregando...

LINKS

Estes contam com o meu apoio:

Baixar Livros Gratis em PDF
Baixar Livros Gratis

CATEQUESE E LUZ

PEQUENAS IRMÃS DA SAGRADA FAMÍLIA

Image

 

A PAIXÃO DE SER CATEQUISTA

Image

 

© 2018   Criado por Jorge Kontovski.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço